23 de novembro de 2012

Dia Nacional de Combate ao Câncer de Pele


24 de novembro é o Dia Nacional de Combate ao Câncer de Pele. Nesse dia, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) coordenará a realização do Exame Preventivo Gratuito. Médicos voluntários e profissionais da saúde darão atendimento gratuito por todo o Brasil. Esta campanha acontece sempre no último sábado de novembro, há 13 anos, e já atendeu mais de 420.000 pessoas. Desta vez, serão 144 postos em hospitais públicos, postos de saúde e tendas montadas em pontos de grande circulação. Todos os brasileiros estão convidados a comparecer. Em especial, a presença dos pacientes de risco é fundamental. Para saber quem se enquadra como paciente de risco, segue uma lista:

- quem tem caso de câncer de pele na família;
- quem tem pele muito clara, que sempre fica vermelha e nunca bronzeia;
- quem tem cabelos ou olhos claros;
- quem possui muitas pintas pelo corpo;
- pessoas que já sofreram queimaduras pelo sol;
- pessoas que possuem sardas na face ou ombros;
- quem já teve câncer de pele;
- pessoas que tomaram muito sol sem proteção;
- quem possui uma pinta que está mudando de cor;
- quem tem uma “feridinha” que não cicatriza;
- idosos.
Se você identificou um ou mais desses itens, venha fazer o Exame Preventivo Gratuito. Os endereços dos locais de atendimento podem ser consultados pelo site da SBD (www.sbd.org.br), e também pelo número 0800-7013187.
Quer saber um pouco mais sobre o evento? Então leia a entrevista que eu fiz com o dermatologista Marcus Maia, coordenador do Exame Preventivo Gratuito.
Em quais regiões do Brasil a incidência de câncer de pele é maior?
O Brasil é um país tropical e o grau de exposição solar é intenso em qualquer região. Mas considerando a distribuição geográfica racial, as regiões Sul e Sudeste concentram as pessoas com maior risco para câncer da pele.
Existem atividades mais sujeitas a câncer de pele?
Sim, todas as atividades nas quais os trabalhadores se expõem ao sol. Carteiros, pescadores, garis, pessoas que trabalham com construção civil etc. Mas não é só a exposição solar frequente que deixa uma pessoa mais suscetível ao câncer de pele. Suas características pessoais, como casos de câncer de pele na família ou pele muito clara são também fatores determinantes, independente dela trabalhar exposta ao sol ou não.
Existem categorias profissionais que recebem filtro solar como item de segurança?
Sim. Nada que seja obrigatório por lei, ainda, mas há. Os carteiros, por exemplo, por iniciativa dos Correios, utilizam bonés e filtro solar. Os funcionários da Saúde da Família também. E os garis utilizam bonés. Existem projetos para transformar em EPI — Equipamento de Proteção Individual — o boné, a camisa e o filtro solar.
Onde e quando será o tratamento das pessoas com câncer de pele diagnosticadas na campanha?
Todas as pessoas diagnosticadas serão encaminhadas para os serviços credenciados da Sociedade Brasileira de Dermatologia mais próximos de suas casas, nos meses após o Dia Nacional de Combate ao Câncer da Pele.
 
fonte: VejaOnline
 

[ ... ]

Dia nacional de combate ao câncer infantil


A data, celebrada no dia 23 de novembro, foi criada para conscientizar a população e promover ações preventivas contra a doença, pois o diagnóstico precoce e quimioterapia permitem cura de até 80%. Portanto, quanto mais cedo ela for descoberta e tratada, melhor.
 
Dados divulgados pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca) indicam que, todos os anos, cerca de 9 mil casos de câncer infantil são detectados no País. Os tipos mais comuns são a leucemia (doença maligna dos glóbulos brancos) e os linfomas (que se originam nos gânglios). A boa notícia é que o diagnóstico precoce e a quimioterapia, juntos, representam a principal arma contra a doença e permitem índices de cura que chegam a 80%.

A onco-hematologista e diretora técnica do Hospital da Criança de Brasília, Isis Magalhães, lembrou que a doença em crianças é diferente da diagnosticada em adultos. Nas crianças, as células malignas são geralmente mais agressivas e crescem de forma rápida. Os tumores dificilmente são localizados e o tratamento não pode ser feito com cirurgia, destacou a especialistas, em entrevista à Agência Brasil.

Outra peculiaridade do câncer infantil é que não há forma de prevenção, uma vez que não é possível explicar a razão do surgimento dos tumores. A médica alertou que os sinais da doença podem ser facilmente confundidos com os de quadros bastante comuns em crianças, como infecções. Alguns exemplos são o aparecimento de manchas roxas na pele e anemia. Os sintomas, entretanto, devem se manifestar por um período superior a duas semanas para causar algum tipo de alerta.

“É preciso saber identificar quando aquilo está passando do limite e quando é normal. Afinal, qual criança não tem uma mancha roxa na canela de vez em quando? Dependendo da situação, a lista de sinais causa mais desespero nos pais do que ajuda”, explicou. A orientação, segundo ela, é levar as crianças periodicamente ao pediatra.

Isis também defende que os próprios oncologistas pediátricos orientem profissionais de saúde da rede básica sobre os sinais de alerta do câncer infantil. A ideia é que o pediatra geral e o agente de saúde, por exemplo, sejam capazes de ampliar seu próprio grau de suspeita, prescrever exames mais detalhados e, se necessário, encaminhar a criança ao especialista.

“A doença não dá tempo para esperar. É preciso seguir o protocolo à risca, porque essa é a chance da criança. O primeiro tratamento tem que ser o correto”, disse. Isis destacou também a importância de centros especializados de câncer infantil, já que a doença precisa ser combatida por equipes multidisplinares, compostas por oncologistas, pediatras, neurologistas, cardiologistas, infectologistas e mesmo psicólogos, odontólogos e fisioterapeutas, além do assistente social.



fonte:  RevistaCrescer |  PortalBrasil |
[ ... ]

Enfermeiros poderão prescrever medicamentos antimicrobianos


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou uma nota de esclarecimento sobre a competência dos profissionais de enfermagem para prescreverem medicamentos antimicrobianos.
A norma em vigor que dispõe sobre o controle de medicamentos antimicrobianos de uso sob prescrição é a RDC nº 20/201, que substituiu todas as normas anteriores que abrangiam o tema e revogou a RDC n° 44/2010. No capitulo II da atual norma, está previsto que a prescrição dos medicamentos abrangidos pela resolução deverá ser realizada por profissionais legalmente habilitados.
Desta forma, o entendimento da Anvisa é que, conforme a Lei Nº 7498/86, os profissionais enfermeiros devidamente habilitados poderão prescrever os medicamentos antimicrobianos quando estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde. A prescrição, entretanto, não pode ser realizada no setor privado.
A Anvisa esclarece ainda que não tem competência legal para regulamentar questões acerca do exercício profissional de nenhuma categoria profissional. Tal função cabe aos conselhos de classe de cada categoria.
 
ABAIXO A ÍNTEGRA NA NOTA DE ESCLARECIMENTO DA ANVISA
Agência Nacional de Vigilância Sanitária
Nota de Esclarecimento
A Anvisa esclarece que não tem competência legal para regulamentar questões acerca do
exercício profissional de nenhuma categoria profissional. Tal função cabe aos conselhos de
classe de cada categoria.
Quando da publicação da RDC 44/2010, que dispõe sobre o controle de medicamentos
antimicrobianos sob prescrição, a Anvisa recebeu o Ofício COREN-RJ n° 641/2011 –
Presidência, de 15 de abril de 2011, requerendo “que esta douta autoridade se digne em
promover adequação dos termos da aludida ementa ao disposto na Lei do Exercício
Profissional da Enfermagem (lei 7.498/86), no que diz respeito à possibilidade de prescrição
pelo enfermeiro de medicamentos antimicrobianos, quando estabelecido em programas de
saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde do qual seja integrante…”
A Anvisa respondeu ao requerente por meio do Ofício n° 016/2011/CSGPC/NUVIG/ANVISA,
de 17 de maio de 2011, no qual esclarece:
“Informamos que foi publicada no Diário Oficial da União de 09 de maio de 2011 a
Resolução – RDC n° 20/2011, que dispõe sobre o controle de medicamentos
antimicrobianos de uso sob prescrição e substitui todas as normas anteriores que
abrangiam o tema, revogando a RDC n° 44/2010.”
….“Com relação ao seu pleito informo que sempre houve da parte desta Instituição a
devida consideração aos serviços prestados pelo profissional enfermeiro, o que houve
de fato, foi uma interpretação equivocada em relação à questão da prescrição e por
isso mesmo, tal distorção foi corrigida na nova resolução, como a seguir:
CAPÍTULO II
DA PRESCRIÇÃO
Art. 4º. A prescrição dos medicamentos abrangidos por esta Resolução
deverá ser realizada por profissionais legalmente habilitados
De toda forma, o entendimento da autoridade sanitária é que os profissionais
enfermeiros devidamente habilitados poderão prescrever os medicamentos de que trata esta
resolução quando estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela
instituição de saúde, conforme Lei Nº 7498/86, neste caso, a prescrição não poderá ser
atendida no setor privado.”

Fonte: Anvisa


[ ... ]

9 de novembro de 2012

Dia mundial do Diabetes


Oficialmente, o dia 14 de novembro é um dia para chamar atenção do mundo para esta epidemia que é o diabetes onde se tornou uma data oficial das Nações Unidas em 2007. Segundo o IDF – International Diabetes Federation (Federação Internacional de Diabetes), existem mais de 300 milhões de diabéticos no mundo.  
Cada ano, é escolhido um tema. Em 2012, é “Protegendo o nosso Futuro”. 

Você sabe o que é uma Sexta Azul?
A proposta é que todas as sextas-feiras, até o dia 14 de novembro, as pessoas se vistam de azul para chamar a atenção das autoridades e da população para a importância da prevenção e controle do diabetes.



Mantenha o diabetes sob controle
Superado apenas pelas doenças cardiovasculares e pelo câncer, o diabetes mellitus atualmente é a terceira maior causa de morte no mundo. Só no Brasil, aflige 12 milhões de portadores. Mas suas graves conseqüências podem ser reduzidas com um controle sistemático da doença, feito principalmente através da manutenção das taxas de glicose no sangue dentro de certos limites, sempre sob orientação médica.

Todo mundo conhece alguém que tenha diabetes, mas poucas pessoas sabem como controlar a doença. Uma dica bem legal para pessoas diabéticas ou familiares, é dar uma bisbilhotada na fan page do OneTouch Brasil no Facebook. Lá você irá encontrar informações sobre qualidade de vida, receitas, monitoramento de glicose, dicas de alimentação e de exercícios físicos, além de poder trocas experiências com os outros pacientes.
A página é atualizada três vezes ao dia e cada dia da semana terá um tema diferente: Nutrição e Visita Médica (segunda-feira), Diabetes e Família (terça-feira), Diabetes e Tópicos Gerais (quarta-feira), Monitoramento e Automonitoramento (quinta-feira), Crianças e Diabetes/ Visita médica (sexta-feira) e Exercícios (sábado).


SAIBA MAIS...

O QUE É O DIABETES MELLITUS?
É o mais freqüente distúrbio que envolve o metabolismo de carboidratos (açucares). Costuma ser caracterizado pelo aumento da taxa de glicose no sangue, a chamada hiperglicemia, pela presença de glicose na urina, denominada glicossúria e por problemas nos sistemas vascular e nervoso, que podem lesar os olhos, rins e coração.

QUAIS OS SINTOMAS?
Sede exagerada e boca seca, aumento do volume urinário, cansaço excessivo, dores no corpo, perda de peso, pouca resistência a infecções e fome acentuada.

O QUE OCORRE NO ORGANISMO DE UMA PESSOA PARA QUE ELA SE TORNE DIABÉTICA?
O pâncreas para de fabricar insulina, uma substância que controla a quantidade de glicose na circulação, ou então, não libera em quantidade suficiente. Com isso, as células deixam de receber glicose, que acaba ficando no sangue.

QUAL O TRATAMENTO PARA O DIABETES?
Dieta, exercícios físicos diários e, quando for o caso, medicamentos, desde que prescritos pelo médico. O controle da taxa de glicose no organismo também é fundamental.

QUAIS OS EXAMES GERALMENTE FEITOS PARA DIAGNOSTICAR A DOENÇA?
A dosagem de glicose no sangue, chamada glicemia (aleatória ou em jejum) é o exame mais comum. Segundo os critérios da Associação Americana de Diabetes, o resultado é normal quando a taxa apresenta-se entre 70 e 110 mg/dl, na dosagem feita em jejum. De 110 a 125 mg/dl, a pessoa é portadora de glicemia de jejum inapropriada, sendo, então, necessário à realização de curva glicêmica. Acima de 125 mg/dl, desde que o valor seja encontrado em pelo menos dois exames, fica confirmado o quadro de diabetes mellitus. Uma glicemia superior a 200 mg/dl, colhia a qualquer hora do dia, desde que na presença de sintomas de diabetes, também é suficiente para o diagnóstico de diabetes mellitus.

COMO É A CURVA GLICÊMICA?
No laboratório a pessoa ingere 75g de glicose misturada com água. Após 120 minutos é feita coleta de sangue para medir a taxa de açúcar. O paciente é considerado diabético quando apresenta glicemia igual ou superior a 200 mg/dl e é considerado intolerante à glicose quando sua glicemia aos 120 minutos está situada entre 140 e 200 mg/dl.

MAS UM DIABÉTICO QUE CONSUMA TANTA GLICOSE NÃO PODE PASSAR MAL?
Para evitar que os níveis de açúcar no sangue fiquem elevados uma dosagem de glicemia em jejum é realizada antes de o indivíduo ingerir os 75g de glicose. Se o resultado for superior a 180 mg/dl a curva glicêmica não é feita.

GESTANTES TAMBÉM PODEM PASSAR POR ESSE TESTE?
A curva glicêmica é um pouco diferente em mulheres grávidas. Segundo as novas recomendações, todas as mulheres grávidas, à exceção das com menos de 25 anos, não obesas e sem histórico familiar, devem ser testadas.
O teste deve ser efetuado entre a 24a e a 28a semana de gestação e consiste na coleta de uma amostra de sangue para a dosagem de glicemia 1 hora após a ingestão de uma sobrecarga oral de 50g de glicose. Valores iguais ou superiores a 140 mg/dl indicam a necessidade de um teste completo. Nesse caso, o teste deve ser feito com sobrecarga oral de 100g de glicose e amostras de sangue par a dosagem de glicose colhidas antes da dose e 1,2 e 3 horas após. Os valores limites são: em jejum 95 mg/dl; a uma hora 180 mg/dl; a 2 horas, 155 mg/dl e a 3 horas, 140 mg/dl. O diagnóstico do diabetes gestacional requer que pelo menos duas das quatro glicemias apresentem valores iguais ou superiores aos limites descritos.

ESSES EXAMES REQUEREM PREPARO ESPECIAL?
Para fazer a glicemia de jejum, a pessoa deve estar em jejum de 8 a 10 horas. Já a aleatória pode ser realizada sem nenhum preparo. Para se submeter à curva de glicemia, no entanto, o indivíduo precisa tomar alguns cuidados:
Ø_Nos 3 dias que antecedem o exame, ingerir 150g de carboidratos (açúcares) por dia, mantendo a alimentação e as atividades habituais;
Ø_Fazer o exame pela manhã, em jejum de 8 a 10 horas;
Ø_Suspender medicação que interfere no metabolismo de carboidratos – na dúvida consultar o médico;
Ø_Manter-se em repouso e não fumar durante o teste.

COMO DEVE SER REALIZADO O CONTROLE DA GLICOSE NA PESSOA COM DIABETES MELLITUS?
A dosagem de hemoglobina glicobilisada reflete o controle da glicose dos últimos 2 a 3 meses. Não há uma periodicidade rígida para medir as taxas de glicose e de hemoglobina glicobilisada. A orientação deve sempre partir do médico.




 Fonte: CMDFleury | SBD | EducaDiabetes

 
 
[ ... ]

21 de setembro de 2012

Dia Mundial Sem Carro - 22 de setembro

 
É bom andar a pé, como diz a música de Wilson Simoninha. E, no dia 22 de setembro, você tem um motivo a mais para isso: aderir às ações do Dia Mundial sem Carro, criado em 1996 pelos franceses em protesto à poluição ambiental. De lá para cá, cidades do mundo engajaram-se no movimento.

A caminhada é uma atividade fácil de ser realizada, que tonifica o corpo e queima muitas calorias , afirma a personal trainer do MinhaVida, Valéria Alvim. E, se você ainda está em dúvida quanto a deixar o carro na garagem, acompanhe as dicas abaixo.


Os consultores da MPR e autores do Guia de Corrida, Fábio Rosa e Emerson Gomes, listam a seguir 100 motivos capazes de convencer qualquer pessoa a abrir mão do volante, e não só uma vez por ano. Mas sempre que possível. Acompanhe:

1- Aumenta a liberação de endorfinas, ajudando no combate do stress, ansiedade e depressão.
2- Tonifica a musculatura das pernas, coxas e glúteos
3- Possui um gasto médio de 200-300 kcal/hora
4- Na subida o gasto calórico pode aumentar para até 450kcal/hora
5- Melhora a circulação sanguínea
6- Auxilia na prevenção de varizes
7- Auxilia no controle da pressão arterial
8- Auxilia no controle do colesterol, diminuindo o HDL( bom colesterol) e aumentando o LDL ( mau colesterol)
9- Aumenta a massa muscular
10- Melhora a atividade do sistema imunológico
11- Ajuda a prevenir a osteoporose, através da compressão imposta aos ossos pelo impacto da caminhada
12- Aumenta o metabolismo de repouso, aumentando assim o gasto calórico diário
13- Aumenta a capacidade dos pulmões absorverem o oxigênio
14- Auxilia no combate a diversos tipos de câncer
15- Alivia os sintomas da TPM
16- A caminhada durante a gestação pode facilitar o parto, por manter a musculatura firme
17- Acelera a recuperação pós-parto
18- Acelera a recuperação de cirurgias
19- Aumenta a força dos membros inferiores
20- Melhora flexibilidade
21- Acelera a atividade do sistema nervoso, auxiliando na condução de impulsos
22- Auxilia no controle postural, pois exige sustentação do tronco
23- Diminui riscos de derrame cerebral
24- Auxilia no controle e prevenção da diabetes
25- Ajuda a prevenir a obesidade
26- Auxilia no combate ao tabagismo
27- Melhora a auto estima
28- Combate a insônia
29- Praticamente sem contra indicações
30- Você fica mais disciplinado, pois caminhando para o trabalho, há horário a cumprir e com isso impõe um ritmo a seu organismo
31- Tem baixo custo. Basta apenas um calçado confortável com amortecedor
32- Aumenta o contato com o meio ambiente, ficando livre do ar condicionado do carro e do escritório
33- Auxilia na absorção de vitamina D, se realizada durante o dia devido à irradiação solar
34- Sem pegar o carro, você colabora com o trânsito
35- Colabora com o controle da emissão de gases que provocam o aquecimento global
36- Você fica livre dos congestionamentos e do stress que os engarrafamentos provocam aos motoristas
37- Deixando o carro na garagem, você gasta menos dinheiro com combustível
38- Você economiza com o altíssimo valor cobrado pelos estacionamentos
39- Pode fazer suas comprar durante a caminhada de ida e volta ao trabalho, evitando a perda de tempo em se deslocar somente para isso
40- Caminhar nas ruas permite observar melhor a arquitetura dos prédios e descobrir lugares nunca antes observados
41- Caminhar nos parques permite observar a natureza
42- Aumenta a percepção de umidade e temperatura
43- Caminhar em contato com a natureza pode reduzir ainda mais a ansiedade, pois a cor verde traz tranqüilidade
44- Podemos observar as nuvens no céu, o que dificilmente pode ser feito dentro de um carro
45- Podemos ver o nascer do sol enquanto caminha em direção ao trabalho
46- Podemos desenvolver a audição prestando atenção nos sons dos carros que se aproximam
47- Em um parque, podemos ouvir o cantar dos pássaros
48- Podemos ver o pôr do sol enquanto voltamos do trabalho
49- Enquanto caminhamos, podemos conversar com os amigos
50- Caminhando diariamente, você fica em forma e pode até economizar com a academia
51- Você ganha uma maior resistência aeróbica
52- Auxilia na tonificação da musculatura dos membros inferiores;
53- Aumenta o seu gasto calórico
54- Fortalece os tendões
55- O impacto da caminhada rápida ajuda na calcificação dos ossos, retardando ou evitando a osteoporose, problema que afeta principalmente mulheres
56- Ajuda a controlar a ansiedade
57- Combate a depressão
58- Controla a pressão arterial
59- Contribui para a diminuição dos valores da freqüência cardíaca de repouso (basal)
60- Estimula a socialização
61- Trabalha o equilíbrio do corpo
62- Fortalece as articulações
63- Reduz risco de arteriosclerose
64- Reduz o risco de AVC (acidente vascular cerebral)
65- Reduz risco de infarto do miocárdio
66- Auxilia no controle do colesterol
67- Auxilia no controle do diabetes
68- Aumenta a eficiência do sistema imunológico
69- Age no controle do estresse
70- Reduz o risco de câncer no cólon
71- Auxilia na prevenção do reumatismo
72- Ajuda na melhora da disposição para o dia-a-dia
73- Combate sentimentos de inadequação
74- Melhora a auto-estima
75- Ajuda no controle da obesidade
76- Diminui o risco de lesão devido ao baixo impacto (comprando à corrida)
77- Auxilia no ganho da massa óssea
78- Diminui o risco de varizes
79- Diminui o risco de lombalgia
80- Contribui para o aumento da flexibilidade
81- Aumenta a resistência anaeróbica
82- Ajuda a corrigir vícios posturais
83- Melhora a estabilidade articular
84- Contribui para a melhora de problemas de circulação
85- Considerada a prática mais segura de exercícios aeróbicos do ponto de vista ortopédico e cardiovascular
86- Ajuda a fortalecer braços e troncos (se houver boa utilização dos braços, no movimento da caminhada)
87- Ajuda na oxigenação cerebral, auxiliando na circulação do sangue pelo corpo
88- Traz a sensação de bem-estar
89- Auxilia no aumento da força
90- Reduz o risco de câncer de mama
91- Ajuda a combater a insônia
92- Aumenta a produção endorfina
93- Auxilia no combate à asma
94- Auxilia no trabalho digestivo
95- Melhora o metabolismo energético
96- Combate os radicais livres
97- Melhora a qualidade do sono
98- Retarda o envelhecimento
99- Contribui para a diminuição do risco do diabetes tipo 2
100- Diminui os triglicérides.

 

[ ... ]

28 de julho de 2012

Dia mundial de luta contra as Hepatites Virais


No Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais, lembrado neste sábado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 500 milhões de pessoas em todo o mundo sofram de algum tipo de doença crônica decorrente de infecção por hepatite. O número representa uma em cada 12 pessoas. Os cálculos indicam ainda que 1 milhão morrem todos os anos em razão da doença.

O tema da campanha este ano é "It´s closer than you think" (Está mais próximo do que você pensa - na tradução livre). O objetivo é sensibilizar as pessoas em relação aos diferentes tipos de hepatite, como cada uma é transmitida, quem está sob maior risco, como se prevenir e como tratar a doença

De acordo com a OMS, apesar das fortes consequências para a saúde da pessoa infectada, a hepatite permanece como uma doença desconhecida por muitos, não diagnosticada na maioria dos casos e, portanto, não tratada. 

Entre os cinco tipos de vírus responsáveis pela hepatite, os tipos B e C, segundo a organização, são os que mais preocupam em razão da grande proporção de pessoas infectadas e que não apresentam sintomas no estágio inicial - apenas quando o quadro já se tornou crônico. Os dois tipos são a principal causa de cirrose hepática e respondem por 80% dos casos de câncer de fígado.

A infecção pelos tipos B, C e D ocorre por meio do contato com o sangue de pessoas infectadas e, no caso dos tipo B e C, também por meio de relações sexuais sem preservativo. O tipo D só afeta pessoas que foram infectadas pelo tipo B. Já os tipos A e E são tipicamente transmitidos por meio de contato com água e alimentos contaminados e são associados a condições ruins de saneamento básico e higiene pessoal.

Dados da OMS indicam que 1,4 milhões de infecções por hepatite A são registradas todos os anos no mundo, enquanto 2 bilhões de pessoas estão infectadas pelo tipo B e 150 milhões com o tipo C. No Brasil, balanço do Ministério da Saúde aponta que 33 mil casos de hepatites virais são contabilizados todos os anos. O maior número de infecções nos últimos 14 anos é pelo tipo B, totalizando 120 mil casos entre 1999 e 2011. 


fonte: Terra


[ ... ]

15 de julho de 2012

Dia nacional do homem - 15 de julho

Dados do Ministério da Saúde revelam que os homens buscam menos a ajuda médica do que mulheres e acabam tendo uma média etária menor que elas, vivendo cerca de 7 anos a menos.

No Brasil não se sabe bem o porquê 15 de julho é o dia nacional do homem, mas desde julho de 1993 a Pensão Jundiaí (formada por um grupo de amigos que se reúne mensalmente na terceira terça-feira de cada mês para jantar) comemora o “Dia Internacional do Homem”. Julho o mês escolhido, pois foi quando o homem chegou à Lua.

A criação do dia internacional do homem ocorreu no dia 19 de novembro de 1999 em Trinidad e Tobago e foi apoiado pelas Nações Unidas, recebendo amplo apoio dos homens de várias partes do mundo, tendo como objetivos: melhorar a saúde do sexo masculino, melhorar a relação promovendo a igualdade entre gêneros e destacar papéis positivos desempenhados pelos homens.


Pesquisa revela que homens têm preconceito de procurar por médicos

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou um levantamento realizado com pacientes do Centro de Referência da Saúde do Homem em São Paulo e revelou que o preconceito e a vergonha ainda os mantêm longe dos consultórios.
A pesquisa mostra que 60% do total de pacientes, chegam ao hospital com quadros considerados avançados e que necessitam de intervenção cirúrgica para combatê-los.

Muitos destes pacientes atendidos desconheciam suas condições de saúde e ignoravam os sintomas iniciais da doença, adiando a busca por ajuda especializada.

Tais atitudes acabam facilitando a evolução de um problema comum e que poderia ser facilmente tratável para um caso mais sério, representando riscos para o paciente, caso não passe por uma cirurgia.

De acordo com o médico chefe do serviço de urologia, Joaquim Claro, o diagnóstico precoce permite tratamentos menos agressivos e com maiores chances de cura e a recuperação do paciente também costuma ser mais rápida, enquanto os gastos com o procedimento e a hospitalização são reduzidos.

“Os homens estão conscientes e procuram com mais freqüência o médico da família para realizar os exames preventivos e o check-up anual, se compararmos com a realidade de alguns anos atrás. Mas por questões exclusivamente culturais, há ainda os que só passam pelo consultório quando sentem fortes dores, dificuldades para urinar ou perda total da libido”.

E ressalta que esses pacientes acreditam que o provedor da casa não pode ficar doente e nem deve sair da rotina de trabalho para visitar o especialista.
O médico coordenador Cláudio Murta, afirma que esse é um grande equívoco, pois é na consulta de rotina que o médico detecta doenças comuns e que demoram a apresentar sintomas, como é o caso do aumento benigno da próstata, recorrente a partir dos 50 anos.


CUIDADOS
Autoexame dos testículos deve ser mensal: A prática pode evitar o aparecimento de câncer no testículo e deve ser realizada entre os 15 e 35 anos, após o banho, com o objetivo de detectar nódulos, ou a presença de varizes testiculares.
“O exame físico da próstata (‘toque’) passa a ser obrigatório após os 40 anos. O câncer de próstata é o mais comum entre os homens e está entre as doenças que mais os matam. A patologia pode ser evitada se o paciente realizar check-up anual que inclui, também, coleta de sangue”.
Tabagismo é um grande vilão
A fumaça do cigarro contém muitas substâncias químicas que são absorvidas e eliminadas pelo organismo pela urina, o que aumenta o risco de desenvolvimento de tumores na bexiga. O cigarro ‘entope’ os vasos sanguíneos e como conseqüência a circulação de sangue é bem menor, facilitando a ocorrência de disfunção erétil.
Prevenção ajuda a viver mais e melhor
Não deixe de usar preservativo nas relações sexuais e de fazer os exames preventivos. Além disso, tenha um bom diálogo com sua parceira.
Coração
Os homens também devem ficar atentos com doenças do coração. Um estudo divulgado pela Secretaria mostra que a situação entre os homens é preocupante, já que 42,84% têm alto risco, 23,92% risco moderado e 33,24% baixo risco.

fonte: SES-SP


[ ... ]

12 de julho de 2012

Pesquisa está traçando perfil dos profissionais de Enfermagem

Uma pesquisa está analisando o perfil da Enfermagem no Brasil, nos aspectos da formação profissional, origem socioeconômica, atualização técnico-científica, qualidade e condições de trabalho, remuneração e participação sociopolítica brasileira. O estudo, que é desenvolvido pelo Ministério da Saúde e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), foi apresentado nesta terça-feira, 10, ao secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, pela coordenadora da pesquisa na Região Norte, enfermeira Idehize Furtado.

A função da pesquisa é criar condições para o desenvolvimento de políticas públicas, além de criar um banco de dados dos profissionais. Atualmente, no Brasil existem quatro milhões de pessoas atuando na área da saúde; só na área de Enfermagem são 1,4 milhão. Segundo informações do Conselho Regional de Enfermagem (Coren), o Pará tem cerca de 46 mil profissionais atuando legalmente, entre enfermeiros, técnicos e auxiliares.

O trabalho está sendo desenvolvido em cinco etapas, iniciadas no dia 11 de junho na Região Norte, sequencialmente para a região Sudeste, Nordeste, Sul e agora no Centro-Oeste. A metodologia adotada é coleta de informações em nível federal, estadual e municipal por meio de questionário. Estima-se que 40 mil enfermeiros e técnicos em Enfermagem, selecionados anteriormente e de forma aleatória, receberão o formulário, que pode ser respondido no cartão resposta e enviado, sem custo, pelos Correios ou via internet.

O trabalho é realizado por uma ação conjunta envolvendo a Fiocruz, Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), Associação Brasileira de Enfermagem (Aben) e a Federação Nacional dos Enfermeiros (FNE), com o apoio da Organização Pan-Americana de Saúde e do Ministério da Saúde, além da rede OberservaRH, da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Saúde (CNTS), Associação Nacional dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem (Anaten) e Fórum Nacional dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem e Escolas de Saúde Pública.
[ ... ]

8 de julho de 2012

Dia Mundial da Alergia - 8 de julho


As alergias respiratórias, como rinite e asma, atingem cerca de 30% da população do País, de acordo com a Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia (Asbai) e que merece atenção para quando todo o planeta se volta para o Dia Mundial da Alergia - data definida em 2005 pela Organização Mundial da Alergia (WAO, em inglês).

Um levantamento da entidade, feito em 30 países, com uma população estimada de 1,2 milhões de indivíduos, revelou que 22% (ou 250 milhões de pessoas) sofrem de algum tipo de alergia, definida como uma reação exagerada do organismo frente a estímulos comuns do meio ambiente, como alimentos, medicamentos, cosméticos, poeira, ácaros, pólen e fungos.

O problema pode se manifestar de várias formas e levar a várias doenças – entre elas, a rinite alérgica, definida como uma inflamação do revestimento interno da cavidade nasal (mucosa nasal) que é desencadeada pelo contato com os alérgenos (ácaros, pelos de animais e fungos, além de outros).

É a danada da inflamação que determina os quatro principais sintomas da rinite alérgica: nariz entupido, coceira, espirros e coriza excessiva. Intriga o fato de esses sinais geralmente serem ignorados. Esse comportamento leva ao prolongamento do quadro e consequentemente a uma complicação da doença.

Quem tem uma frequente congestão nasal sabe que o problema obriga a respiração pela boca, o que pode ocasionar irritação na garganta, voz anasalada, ronco e outros distúrbios respiratórios do sono. É por isso que aqueles com rinite alérgica não controlada estão sujeitos a desenvolver outras doenças, como otite, sinusite, faringite, amigdalite e asma.

Tanto distúrbio interfere na qualidade de vida. Não é raro os pacientes com rinite alérgica apresentarem limitação nas atividades diárias, além de produtividade reduzida no trabalho e na escola. Um levantamento realizado na América Latina, em 2009, conhecido pela sigla Aila (Allergies in Latin America), mostrou que a maioria dos pacientes (79%) com a doença apresenta algum tipo de impacto no cotidiano.

O diagnóstico precoce e o acompanhamento médico são fundamentais. Afinal, quando tratado, o paciente pode evitar as crises decorrentes da rinite alérgica. Para alguns indivíduos, o ar poluído da cidade ou alérgenos respiratórios como a poeira doméstica são suficientes para engatar espirros e sentir coceira no nariz. O tratamento adequado possibilita o controle da rinite alérgica e permite uma melhor qualidade de vida. O fato da pessoa ter rinite alérgica não significa que ela deve sofrer por causa dos sintomas. Entender como é possível manter o problema sob controle e impedir que as crises interfiram na sua rotina fazem parte do primeiro passo para que o paciente se sinta bem.

Conforta saber que o tratamento da doença nem sempre é complicado. Os medicamentos mais frequentemente usados são os anti-histamínicos e os corticoides nasais – entre esta última classe, está a ciclesonida, um corticoide intranasal de ação rápida que atua especificamente no foco da rinite alérgica. Dessa forma, é possível combater a inflamação e os sintomas associados.

A rinite alérgica também exige que o paciente tenha alguns cuidados. As principais recomendações são manter os ambientes de casa e do trabalho limpos, trocar os lençóis de cama uma vez por semana, lavar antes de usar as roupas guardadas por muito tempo, deixar as janelas abertas para ventilar o ambiente, evitar sair de espaços quentes e ir para outros muito frios. Além disso, o paciente deve evitar locais fechados, não fumar, evitar cheiros fortes, ficar longe de mofo e dos agentes que desencadeiam a crise. De qualquer forma, nunca é demais frisar que a rinite alérgica também tem caráter hereditário.



fonte: Burson-Marsteller | ASBAI

[ ... ]

4 de junho de 2012

Gênio de 15 anos revoluciona o combate ao câncer de pâncreas


Projeto vencedor da maior feira de ciências do mundo abre caminho para o diagnóstico precoce de um dos tipos mais letais de câncer. Em comparação com o teste ELISA, o método se mostra 26.667 vezes mais barato e 400 vezes mais sensível.

Jack Andraka, aluno do ensino médio, recebeu o primeiro prêmio da maior feira de ciências do mundo, organizada pela Intel. O jovem desenvolveu um teste para diagnosticar precocemente três tipos de câncer, incluindo um dos mais letais: o de pâncreas (foto: Divulgação)

Jack Andraka é um garoto americano de 15 anos que adora o seriado de TV Glee. Filho de pai polonês e mãe inglesa, mora com a família em Maryland, na vizinhança da capital Washington, onde cursa o primeiro ano do High School (equivalente ao segundo grau no Brasil) no North County, um cólegio normal. Gosta de remar em seu caiaque e fazer origamis. A princípio, não há nada que o destaque dos demais rapazes de sua idade. Jack, porém, é um gênio. No dia 18 de maio, venceu a Feira Internacional de Ciência e Engenharia da Intel, a maior do mundo para pré-universitários. Levou 100.000 dólares para casa, 75.000 pelo prêmio principal, 25.000 em prêmios especiais. Seu feito: desenvolver um teste simples e barato para fazer o diagnóstico precoce de três tipos de câncer, incluido o do pâncreas, um dos mais letais. O custo é de três centavos de dólar e o resultado é obtido em menos de cinco minutos. Segundo o site da Intel, o teste que Jack criou é 28 vezes mais barato e 100 vezes mais sensível do que o conjunto de técnicas atualmente utilizado para o diagnóstico. A comparação com o teste ELISA, o mais difundido método de detecção atual, é ainda mais impactante: o método de Jack se mostra 26.667 vezes mais barato e 400 vezes mais sensível.

Jack é persistente. Depois que o tio morreu de câncer do pâncreas, passou meses pensando em formas de atacar a doença. Cerca de 95% dos pacientes morrem em até cinco anos se o tumor no pâncreas não é descoberto cedo. Segundo a Organização Mundial de Saúde, todos os anos são registrados quase 145.000 novos casos de câncer de pâncreas e cerca de 139.000 mortes. Steve Jobs, cofundador da Apple, foi uma das vítimas da doença. Jack teve seu momento eureka durante uma aula de biologia em 2011. Andraka já havia estudado os nanotubos de carbono, estruturas artificiais com a espessura de um átomo hoje usadas na indústria farmacêutica, e marcadores biológicos, substâncias presentes no organismo que podem indicar a existência de uma doença. Ele juntou as duas coisas e começou a projetar um teste que usasse os nanotubos para detectar o marcardor biológico do câncer de pâncreas, com o objetivo de fazer isso de forma mais simples e mais barata que o teste ELISA.

"O que fiz foi criar um sensor de papel: um nanotubo de carbono de parede simples combinado com anticorpos e um marcador biológico do câncer chamado mesotelina. Os anticorpos são moléculas que se grudam em outras moléculas específicas. Meu sensor, em um estudo cego, fez o diagnóstico certo do câncer de pâncreas em 100% dos casos. Ele pode diagnosticar o câncer antes que ele se torne invasivo." Uma gota de sangue basta para fazer o teste.

Para validar sua ideia, Jack escreveu um projeto de pesquisa prevendo os materiais necessários, o tempo de utilização do laboratório, o custo e os resultados almejados. Enviou o projeto por e-mail para 200 profissionais nos Estados Unidos. Recebeu 197 'nãos'. Duas respostas nunca chegaram. "Quando estava prestes a desistir, recebi a última resposta", diz Jack em entrevista ao site de VEJA.


Celeiros de gênios

O surgimento de tantos jovens talentos científicos nos Estados Unidos não é obra do acaso. Diversas organizações estimulam e financiam premiações como a Feira de Ciências da Intel, que este ano distribuiu milhares de dólares em prêmios.
A competição entre jovens gênios também é levada a sério na Olimpíada da Matemática (USAMO - United States of America Mathematical Olympiad), competição entre entudantes do High School que é realizada há seis décadas.
De olho em futuros talentos para suas diversas missões espaciais, a NASA promove o Projeto Aliança Robótica. Os vencedores das diversas competição são observados de perto pela agência, que seleciona os melhores projetos, que, muitas vezes, resultam em missões bem sucedidas.
A resposta positiva veio do laboratório do médico Anirban Maitra, especialista em câncer do pâncreas. Maitra trabalha há 12 anos na respeitada Universidade John Hopkins, que tem uma das melhores faculdades de medicina do mundo e investe alto no tratamento do câncer. "O projeto estava tão bem elaborado, tão bem escrito e representava uma ideia tão inovadora, que foi impossível recusá-lo", diz Maitra. "Jack é um rapaz brilhante." E esforçado. Na segunda metade de 2011, Jack começou o trabalho que duraria sete meses. O médico conta que o garoto aparecia no laboratório todos os dias, após a escola — uma viagem de 70 quilômetros. "Vinha até nos feriados e por vezes saía tarde da noite do laboratório."



Da feira de ciências para o doutorado - O teste de Jack é um projeto de feira de ciências, mas equipara-se a uma tese de doutorado. Promissora, a ideia ainda é muito jovem, e precisará passar pelo rigor e escrutínio da comunidade científica antes de chegar aos pacientes. Quando o estudo for publicado, na forma de um artigo para periódicos científicos, terá o jovem Jack como "chefe da pesquisa". "Ele já está escrevendo. Vamos enviar o artigo em breve", diz Maitra.

Jack já patenteou a técnica e começou a ser assediado por empresas que querem transformá-la em produto. Os 100.000 dólares que recebeu pela descoberta, ao vencer a feira de ciências da Intel, serão usados para financiar sua promissora carreira como patologista. "Ele já venceu outras feiras de ciência menores, sempre com projetos sensíveis às necessidades da sociedade", conta Maitra. "Sua sagacidade está sempre apontada para problemas reais da população." O médico diz que teria orgulho em tê-lo como aluno na Universidade John Hopkins, mas sabe que ele será disputado por outros gigantes da pesquisa. "Pessoas como ele construíram o Google ou a IBM", diz. "Ele tem condições de criar sua própria empresa de biotecnologia." Mas Jack ainda não pensa onde trabalhar. No primeiro ano do ensino médio, o que ele quer é disputar a próxima feira de ciências da Intel. E não perder o próximo episódio de Glee.
 

Diagnóstico rápido e barato

Jack Andraka
15 anos, vencedor da Feira Internacional de Ciência e Engenharia da Intel

Como teve a ideia de desenvolver um teste para diagnosticar o câncer do pâncreas? A única forma de saber se alguém tem câncer de pâncreas é realizar exames periódicos de sangue. Desenvolvi um sensor que identifica uma proteína encontrada no sangue e na urina. Em grandes quantidades, ela indica que o indivíduo tem câncer de pâncreas, de ovário ou de pulmão. Trata-se então de um sensor genérico para esses três tipos de câncer.
Quanto tempo levou para trabalhar a ideia? Levei dois meses para pensar em como montar o sensor, quais reagentes usar e planejar quanto tempo eu precisaria em um laboratório. Disparei 200 e-mails para instituições como o Instituto Nacional de Saúde e fui rejeitado 197 vezes. Duas mensagens nunca chegaram. Finalmente fui aceito pelo Dr. Maitra, na Universidade John Hopkins.
Você já está trabalhando em outro projeto? No momento estou me esforçando para comercializar o novo sensor. Várias empresas já entraram em contato comigo, e registrei um pedido de patente, que aguarda aprovação.
Como o sensor funciona? Trata-se de uma pequena tira de papel com reagentes. O melhor método diagnóstico para o câncer de pâncreas requer três sensores e leva horas. Meu teste não precisa de treinamento nem equipamento especial. Uma gota de sangue basta para seis tipos de testes diferentes em cinco minutos. Além disso, ele pode ser aplicado em outras formas de câncer, monitorar medicamentos e ser adaptado para detectar outras doenças infecciosas, como salmonela, E. coli, rotavírus, aids, e doenças sexualmente transmissíveis. A ideia é fazer o teste realmente simples, para que todos os pacientes possam realizar uma vez por semana, a um custo de três centavos de dólar por teste, de modo que o plano de saúde possa cobrir.
Você se considera à frente da sua geração? Eu me considero à frente da minha geração, mas acho que a inteligência natural é superestimada pelas pessoas. Não acho isso seja o fator principal. O mais importante é o quanto cada um se dedica àquilo que gosta de fazer.
O que espera conquistar nos próximos 15 anos da sua vida? Espero poder continuar minha pesquisa. Quero ser um patologista e talvez funde a minha própria empresa de biotecnologia. Mas ainda tenho muito tempo para pensar nisso, certo?
O que você diria para jovens que desejam começar uma carreira de cientista? O mais importante é encontrar aquilo que te apaixona. Todo mundo tem a chance de se tornar um grande cientista. É apenas uma questão de encontrar sua paixão e fazer as perguntas certas. Se isso acontecer, continue fazendo as perguntas, deixe a curiosidade fluir e trabalhe duro. Sempre valerá a pena.

No vídeo abaixo (em inglês, com legendas), Jack explica sua invenção:
fonte reprodução: VejaOnline

[ ... ]

12 de maio de 2012

Dia Internacional do Enfermeiro


Assinala-se neste sábado, 12 de Maio, o Dia Internacional do Enfermeiro, instituído em homenagem a Florence Nightingale, um marco da enfermagem no mundo e que nasceu nesse dia, em 1820.



A enfermeira britânica, de ascendência italiana, destacou-se durante a Guerra da Criméia (1854) ao transformar o modo de funcionamento do hospital militar do exército inglês na Turquia e ao introduzir mudanças na prestação de cuidados de saúde. 

Florence Nightingale melhorou as condições sanitárias e de higiene e a qualidade de vida dos soldados e, em apenas dois anos, com uma equipe de enfermeiras selecionadas por ela, conseguiu reduzir significativamente a taxa de mortalidade do hospital, provando a importância da profissão. 

Durante os combates da Guerra da Criméia, os soldados fizeram de Florence o seu anjo da guarda pois, de lâmpada na mão, percorria as enfermarias dos batalhões e acampamentos, atendendo os doentes. 

Ao retornar em 1856, adoentada de tifo, Florence recebe um prêmio em dinheiro do governo inglês, em reconhecimento ao seu trabalho. Com este dinheiro, fundou, em 1859, em Londres, a primeira Escola de Enfermagem, no Hospital Saint Thomas, e que passou a servir de modelo para as demais escolas que vieram depois.

No Brasil, além do Dia do Enfermeiro, comemora-se a Semana da Enfermagem entre os dias 12 e 20 de maio em homenagem a Florence Nigthingale e a Ana Néri, enfermeira brasileira e a primeira a se alistar voluntariamente em combates militares 

Parabéns a todos estes profissionais e suas equipes de enfermagem que tanto contribuem para o bem estar físico, social e mental do ser humano, promovendo saúde e prevenindo doenças. Que todos possam sempre continuar a fazer a diferença no dia a dia nos estabelecimentos de saúde, ou em outras situações como o Atendimento Pré-hospitalar. Cuidar é a nossa missão. Parabéns!



[ ... ]

2 de maio de 2012

Enfermeiro de bordo (aeromédico)

Saudações prezados leitores!

O blog será atualizado com uma frequencia menor do que a de costume em razão deste editor estar frequentando desde o final de abril e neste mês de maio o Curso de Enfermeiro de Bordo na Escola Superior de Bombeiros de SP.
O curso destina-se aos Enfermeiros que são Policiais Militares servindo no Corpo de Bombeiros e demais convidados para que sejam estes profissionais capacitados a tripularem o Resgate Aeromédico das bases do interior do Estado de São Paulo nos helicópteros do Grupamento de Rádiopatrulha Aérea de SP mais conhecidos com "Águias".
Sempre que possível, estarei realizando novas postagens.

Obrigado e não desapareçam. Aproveitem para reler as postagens já realizadas.

Grande abraço!
Vida longa e próspera.


[ ... ]

13 de março de 2012

12 razões para usar o farol baixo durante o dia


1. O uso dos faróis baixos ligados durante o dia é recomendado pela Resolução n° 18/98 do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), pois ele auxilia na redução de sinistros no trânsito;

2. A NHSTA (Associação Norte-Americana de Segurança rodoviária, órgão dos EUA), afirma que o uso de farol baixo ligado durante o dia reduz em 12% os acidentes envolvendo pedestres e ciclistas e em 5% as colisões entre veículos;

3. Aumenta em mais de 64% a visibilidade dos veículos que estão com os faróis ativados, segundo pesquisas científicas realizadas por órgãos oficiais de renome internacional pois o farol baixo durante o dia também auxilia os pedestres a perceber a velocidade e dimensiona os movimentos dos veículos;

4. Mesmo em condições de boa luminosidade diurna, as cores e as formas dos veículos contribuem para dissimulá-los, o que atrapalha a sua visualização a uma distância segura para ações preventivas de acidentes;

5. “O maior percentual de mortes nas rodovias é por choque frontal, em tentativa de ultrapassagem; com o uso do farol baixo, o motorista consegue ver, de maior distância, se o veículo à sua frente está indo ou vindo em sua direção”, afirma o diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Alfredo Peres da Silva;

6. Os pesquisadores do Centro de Pesquisas de Acidentes da Universidade Monash de Melbourne (Austrália) afirmam, após análise científica, que um veículo de cor preta tem 12% a mais de possibilidades de envolver-se em acidente durante o dia do que com a cor branca;

7. Um número importante dos acidentes de trânsito ocorre pela falta de visibilidade a longa e média distância dos veículos, portanto, o farol baixo ligado colaborará para aumentar a visibilidade do veículo, segundo pesquisadores, em mais de 3 quilômetros. Além do mais, ver e ser visto no trânsito é um dos alicerces da Direção Defensiva;

8. No Canadá, na Suécia, Noruega, Dinamarca, Finlândia e Hungria, que no passado apresentavam altos números de acidentes de trânsito, depois do investimento em prevenção, incluindo o uso de farol baixo durante o dia, reduziram consideravelmente o número de acidentes;

9. Segundo pesquisa de órgãos oficiais, contribui em 69 % na redução da gravidade nos acidentes, por facilitar frenagem e manobras com mais antecipação;

10. Na Suécia, ocorreu uma redução da quantidade de acidentes, em dois anos, 6 a 13%; e, no Canadá, esta diminuição atingiu entre 10 a 20% dos acidentes;

11. Em caso de chuva, neblina ou cerração evita multa de natureza média (R$83,15) e 4 pontos, pois nesses casos é obrigatório o uso de luzes externas acesas;

12. Também está regulamentado pelo Código de Trânsito Brasileiro o uso obrigatório do farol baixo em motos, ônibus e caminhões enquanto circulam durante o dia. Segundo o artigo 244, inciso IV do CTB, conduzir motocicleta com os faróis apagados mesmo durante o dia configura infração gravíssima, multa de R$ 191,54, perda de 7 pontos na CNH e ainda a suspenção do direito de dirigir.

E sem faróis baixos à noite, nem pensar...
Faróis baixos a partir do entardecer, não é opção, é lei, portanto é obrigatório. Só com lanterna você não vê e não é visto.
O CTB obriga o condutor usar o farol baixo desde o pôr-do-sol ao término do amanhecer. E manter as Luzes de Posição ("lanternas") acesas ao embarque e desembarque de passageiros à noite (pois elas são destinadas a indicar a presença e a largura do veículo). E somente nessas condições o uso da lanterna deve ser usado.
 
[ ... ]

7 de março de 2012

Dia mundial do rim 2012

A segunda quinta-feira de março, que este ano cai no dia 8, é reservada para comemorar o Dia Mundial do Rim, criado pela Sociedade Internacional de Nefrologia e a Federação Internacional de Fundações do Rim. O tema deste ano é “Donate kidneys for life receive”, que no Brasil recebeu a versão “Doe Rim, Salve uma Vida”.

A prevalência da doença renal é, relativamente, alta, ou seja, uma em cada dez pessoas apresenta evidências da doença. Trata-se de uma doença silenciosa, por isso, muitas pessoas só procuram ajuda em estágios mais avançados quando a perda total da função dos rins pode ser irreversível. Neste caso, a alternativa é a Terapia Renal Substitutiva, ou seja, Hemodiálise ou Diálise Peritoneal, até ser encaminhado para o Transplante. As pessoas que devem redobrar a atenção para a doença renal são: hipertensos, diabéticos, idosos e aquelas com histórico familiar de doença renal ou cardiovascular. Somente o ano passado o SUS custeou a realização de 11,63 milhões de procedimentos relacionados à Terapia Renal Substitutiva a um custo aproximando de 1,64 bilhões de reais.

O tema da campanha do Dia Mundial do Rim de 2012 tem como objetivo despertar a atenção da população para o ato da doação e transplante de órgãos. Os possíveis doadores de Rim são: doador vivo relacionado, ou não-relacionado e doador falecido, isto é, em situação de morte encefálica. O transplante de rim está em 1º lugar comparado com o transplante de outros órgãos sólidos como coração, fígado, pulmão e pâncreas. Segundo dados da Associação Brasileira de Transplantes de Órgaos (ABTO) e do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS) em 2011 foram realizados 4.940 transplantes de rim no Brasil, dos quais 33% com doadores vivos. 81,8% foram financiados pelo SUS. O Estado com o maior número de transplantes foi São Paulo (1.595), seguido por Minas Gerais (425), Rio Grande do Sul (400), Paraná (321) e Santa Catarina (245).

Segundo lei federal toda pessoa com doença renal crônica tem direito de realizar seu tratamento de diálise ou o transplante renal e de receber medicamentos básicos e essenciais para o tratamento de doenças que normalmente acompanham a insuficiência renal.


fonte: Adote

[ ... ]

5 de março de 2012

Semana de Mobilização Saúde na Escola


Começou nesta segunda-feira (5) a Semana de Mobilização Saúde na Escola para prevenção e controle da obesidade infantil. A ação do Ministério da Saúde acontece em 535 escolas públicas do estado de São Paulo. Outros estados também participam da Campanha. O tema escolhido para a primeira edição da Semana de Mobilização Saúde na Escola, que acontecerá em mais 2.500 municípios de 5 a 9 de março será Prevenção da obesidade na infância e na adolescência.

Na Grande São Paulo, mais de 70 escolas públicas de Guarulhos, Santana do Parnaíba, Itapecerica da Serra e Taboão da Serra serão alvo desta campanha.
A iniciativa vai envolver alunos com idade entre 5 a 19 anos, além de agentes de saúde, educadores e pais. No Brasil, segundo o IBGE uma em cada três crianças com idade entre 5 e 9 anos estão com peso acima do recomendado pela OMS. O índice de jovens de 10 a 19 anos com excesso de peso passou de 3,7%, em 1970, para 21,7%, em 2009.
As ações do Programa Saúde na Escola são desenvolvidas por equipes de Saúde da Família ligadas à Unidade de Saúde Básica (UBS). Profissionais de Saúde como médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e nutricionistas se deslocarão até a escola para examinar as crianças e desenvolver práticas educativas de promoção, prevenção e avaliação das condições de saúde. “A manutenção do peso adequado desde a infância é um dos principais fatores para a prevenção de doenças na fase adulta”, explica a coordenadora do Programa Saúde da Família, Raquel Turci. Neste ano também serão programadas visitas da comunidade às Unidades Básicas de Saúde, ação prevista dentro da estratégia Saúde Mais Perto de Você.

O combate à obesidade infantil pode evitar a hipertensão e diabetes. Durante a Campanha as crianças serão pesadas, medidas para, em seguida, se fazer uma avaliação nutricional. Se necessário, elas serão encaminhadas para Unidades Básicas de Saúde para acompanhamento médico. Haverá ainda palestras aos pais orientando sobre a alimentação saudável.
A Semana de Mobilização Saúde na Escola acontecerá todos os anos e foi instituída por Portaria publicada no Diário Oficial da União. A adesão é voluntária e é uma das ações previstas no Programa Saúde na Escola, desenvolvido pelos Ministérios da Saúde e Educação desde 2007 e que foi integrado ao Programa Brasil sem Miséria. “O PSE promove a articulação da rede básica de educação com o Sistema Único de Saúde para atenção, promoção e prevenção dos estudantes de 5 à 19 anos e a Semana é o pontapé inicial, uma forma das equipes se entrosarem, se conhecerem e, a partir daí, programarem as atividades que serão realizadas no ano”, explica o Secretário de Atenção à Saúde, Helvécio Magalhães.
fonte: MS | G1 

[ ... ]

29 de fevereiro de 2012

Dia mundial de Doenças raras


Celebrado no último dia do mês de fevereiro, o Dia Mundial de Doenças Raras tem como objetivo destacar a importância dos estudos sobre doenças que desafiam a medicina e chamar a atenção da sociedade para unir os esforços na luta por melhores condições de diagnóstico e tratamento. 

As doenças raras são aquelas que afetam um número reduzido de pessoas. Ao todo, existem mais de 6 mil tipos delas, atingindo cerca de 7% da população. Em sua maioria, as patologias são graves, crônicas, incuráveis e de caráter progressivo, além de constituírem risco de morte. Surgem em decorrência de alterações genéticas, mas algumas podem ter origem infecciosa ou alérgica. 

Entre os principais problemas enfrentados por quem porta alguma doença rara estão a falta de informação, o diagnóstico tardio, a dificuldade na orientação para profissionais de saúde qualificados e o acesso ao tratamento adequado e específico. 

O Brasil registra cerca de 150 profissionais especializados em doenças raras, segundo dados da Sociedade Brasileira de Genética Médica.

O Ministério da Saúde vem avançando na elaboração de diretrizes para o diagnóstico, o atendimento e o tratamento das pessoas com doenças raras. O Sistema Único de Saúde (SUS) conta atualmente com cerca de 26 protocolos clínicos e diretrizes terapêuticas, entretanto a assistência aos pacientes com doenças genéticas é um grande desafio do SUS devido à complexidade do assunto.

fonte: Terra


[ ... ]

 

©2009 Navegando e Aprendendo com a Enfermagem | Template adaptado de TNB

Web Statistics